SIDA: Combate ao preconceito

Este ano, para apoiar o combate na luta contra a SIDA, o Comité Miss Angola escolheu um tema bastante polémico que debate a forma como a sociedade encara o paciente infectado pelo vírus VIH.
 
A Direcção do Comité Miss Angola analisou a questão e, de uma conversa com médicos especializados no assunto, veio a ideia de debater um ponto que muitos consideram como o ponto-chave no combate e prevenção da doença. Discutir o tema sob a óptica de quem está infectado, é uma forma de ver o assunto sob outro ângulo. Muitos esforços são demandados para se prevenir e esclarecer quanto aos riscos da doença, mas e aquele que já é seropositivo? Como deve ser tratada esta questão?
 
O preconceito que o paciente com VIH sofre, quer seja por parte da sociedade ou de sua própria família, faz com que o combate a doença fique à margem da decisão do paciente em assumir que tem a doença. Não assumir coloca os outros em risco e principalmente impede que o tratamento adequado seja aplicado. Quais os motivos que levam a pessoa infectada a não assumir que tem o vírus? Este é o ponto crucial da campanha deste ano.

Discutir como devemos encarar os pacientes com VIH, é mostrar a eles que existe vida mesmo para quem está doente e o início desta luta, está no exacto momento em que ele decide assumir perante a sociedade que tem a doença e que precisa de ajuda. Mais do que isso, ele precisa de apoio, respeito e solidariedade de todos, sem excepção!
 
A campanha, concebida pela RS BRAND,  apresenta-se em diversos meios de comunicação como na empena do Instituto Nacional da Luta conta a SIDA, um anúncio de imprensa, alguns outdoor e o spot publi-citário de televisão e rádio, começa a ser veiculada nos próximos dias, mostra a importância do respeito que todos temos que ter por aquele que tem o vírus VIH. Só assim a luta para o combate a doença ganha força e permite que resultados ainda melhores possam ser alcançados.

icon_emailShare Enviar por email
icon_print Imprimir
icon_increaseTxt
icon_decreaseTxt