Fundação LWINI

Revista Miss Angola: O Fundo LWINI foi criado em Junho de 1998. Estar na Direcção Executiva da Fundação Lwini é um grande desafio. Quais são as principais dificuldades com que se depara?
 
Dr. Alfredo Ferreira: Creio que antes de se considerar um grande desafio, a grande motivação reside no facto de nos sentirmos uma peça importante para levar avante um ambicioso projecto de solidariedade que começou a ser delineado à 13 anos, num contexto absolutamente diferente e com um nível de dificuldades acrescidas. Para nossa alegria a situação actual do País é acima de tudo muito diferente, a julgar pelas sucessivas melhorias que todos os dias se reconhecem no contexto social e de ajuda humanitária. Contudo, achamos que a ausência de alguns instrumentos jurídicos que fundamentalmente contribuam para o aumento e melhoria da responsabilidade social das Empresas, nomeadamente uma Lei de Mecenato, são alguns dos entraves à melhoria do nível de parcerias que julgamos essenciais para quem desenvolve actividade benemérita.
Finalmente neste capítulo é importante que se concretizem dentro da maior brevidade possível, normas constitucionais que tenham a ver com a protecção do cidadão portador de deficiência, por forma a que este se sinta verdadeiramente integrado na sociedade.

Revista Miss Angola: No contexto de crise mundial em que vivemos actualmente, como tem sido a angariação de fundos para a Fundação?
 
Dr. Alfredo Ferreira: A Fundação LWINI esforçou-se ao longo destes anos por alcançar e consolidar parcerias fortes e coesas que permitissem o desenvolvimento dos seus projectos, quer ao nível interno, como externo do País. Para tanto foi fundamental manter uma rigo-rosa política de controlo de todas as doações que ao longo dos anos nos foram entregues, submetendo-se a auditorias por entidades independentes em todos os finais de exercício, o que assegura uma grande credibilidade junto dos potenciais doadores.
Como seria de prever, esta espinhosa missão não deixou de afectar naturalmente as nossas pretensões tendo entretanto a Fundação LWINI criado em tempo oportuno e através de um plano estratégico bem delineado, outros mecanismos para a mobilização de recursos, através da diversificação das suas parcerias, mormente o Estado Angolano com quem tem vindo a desenvolver importantes intervenções no capítulo social.

Revista Miss Angola: A Fundação LWINI já existe há 12 anos. Quais foram os momentos mais marcantes na história da fundação?
 
Dr. Alfredo Ferreira: Poderemos dizer que indiscutivelmente o passo mais marcante foi a fase de transição de Fundo de Solidariedade Social para Fundação. De forma cautelosa mas objectiva, os anteriores órgãos sociais do Fundo souberam prudentemente adoptar os procedimentos que se impunham para essa nova etapa da Instituição. Foi necessário um apurado exercício que envolveu todas as sensibilidades da organização, através de um trabalho de profundo de pesquisa, a definição de um plano estratégico de desenvolvimento por 4 anos e finalmente a adopção de uma nova base estatutária.
 
Revista Miss Angola:
Quem são os parceiros da Fundação LWINI e como funcionam as parcerias?
 
Dr. Alfredo Ferreira: Desde sempre a Instituição adoptou como estratégia principal, a definição do seu âmbito de actuação com base num objecto social alargado, o que de certa forma facilitou a identificação das suas parcerias. A mais importante foi sem dúvida o facto dos seus órgãos sociais terem assumido uma parceria privilegiada com o Governo, exercendo de forma o mais complementar possível o seu trabalho de apoio às vítimas civis de minas terrestres e o apoio à mulher rural. O facto de já existirem em Angola algumas ONG´s nacionais que muito de perto já operavam junto desse grupo alvo, facilitou em grande medida a missão do nosso trabalho com vantagens recíprocas.
 
Revista Miss Angola:
Hoje em dia, fala-se muito de parcerias público-privadas. A Fundação LWINI tem alguma parceria directa com o Estado Angolano?

Dr. Alfredo Ferreira: Como anteriormente referimos, um dos pontos fortes da nossa intervenção social foi na definição das nossas parcerias, sendo particularmente vantajosa a que assumimos a título complementar às acções do Governo com alguns órgãos de tutela. Esta parceria permitiu desde logo alavancar a actividade do Fundo, pois cedo percebemos que o programa económico do Governo dedicava especial atenção às pessoas portadoras de deficiência e à mulher rural. Um exemplo concreto desta proveitosa parceria foi o projecto denominado “VEM COMIGO” cujo objectivo principal era fazer retornar com dignidade às zonas de origem, todos os cidadãos que por força do longo período de guerra, se viram “obrigados” a emigrar para os grandes centros urbanos. Outra das grandes parcerias estabelecidas foi aquela que deu origem ao surgimento do movimento desportivo adaptado e que hoje permite ao Comité Paraolímpico Angolano alcançar no contexto mundial, padrões soberbos de classificação nomeadamente no atletismo. Desde cedo o então Fundo LWINI desenvolveu com aquele órgão reitor do desporto inúmeros programas de formação, para além da institucionalização da Taça LWINI que anualmente movimenta mais de duas centenas de atletas de todos os cantos de Angola.

Revista Miss Angola: Um dos projectos da Fundação é o “Race to Learn”. Como têm sido os resultados deste projecto?
 
Dr. Alfredo Ferreira: O programa “Race to Learn” está implicitamente ligado a um ambicioso programa de prevenção que em determinada altura sentimos necessidade de implementar, a julgar pelo crescente aumento de vítimas de acidentes nas estradas de Angola. Depois do trauma de guerra que vitimou centenas de jovens das mais variadas formas e para os quais o Governo de Angola criou uma rede de assistência médica em pontos estratégicos das principais zonas de sinistro, surge agora este novo fenómeno que começa a atingir proporções alarmantes, com sequelas profundas principalmente nas camadas mais jovens da sociedade. Com esse propósito e numa primeira fase é intenção da Fundação LWINI, a Fundação Williams F1 e a Universidade de Cambridge com ajuda de alguns parceiros nacionais, nomeadamente o grupo Ridge Solutions e a Toyota de Angola, desenvolver esse projecto educativo que visa incentivar o espírito de equipa e de empreendedorismo, técnicas de trabalho em grupos de crianças em idade escolar através de um software interactivo. Uma segunda fase está reservada para um programa igualmente educativo no domínio da prevenção rodoviária que deverá abranger o maior número possível de crianças das escolas de todos os municípios da capital do País.

Revista Miss Angola: A guerra civil Angolana acabou em 2002, mas deixou muitas minas terrestres. Ainda surgem novas vítimas?
 
Dr. Alfredo Ferreira: Para felicidade de todos, o fim do conflito armado permitiu ao Governo de Angola desenvolver um incomparável esforço no processo de desminagem e apoio social às vítimas de minas, com resultados absolutamente reconfortantes. Depois de períodos de bastante sufoco em consequência do regresso das populações às suas casas e campos de cultivo, com todas as consequências daí resultantes, podemos dizer que a situação hoje é diferente. Tal como a Fundação LWINI, outras ONG´s nacionais cooperam com as Institui-ções competentes do Estado no domínio da educação e prevenção contra o perigo das minas terrestres.
 
Revista Miss Angola: Acha que ainda há muito para fazer nesta área? Qual é o principal foco de acção da Fundação LWINI neste momento?
 
Dr. Alfredo Ferreira: A assistência social às vítimas de minas, à criança desfavorecida e à mulher rural é um trabalho intenso e de permanente intervenção, a julgar pelo considerável número de cidadãos afectados pelos traumas decorrentes do longo período de guerra a que estiveram sujeitos.  Depois de assistirmos a um apurado trabalho de recuperação de estradas, pontes e vias de acesso para os pontos mais recônditos de Angola, surge agora uma nova etapa: a recuperação de um homem novo, livre de preconceitos e com uma vida condigna.
A Fundação LWINI consciente desta responsabilidade continuará a dar o seu modesto contributo no engrandecimento do homem novo, através de programas e projectos sociais de formação profissional, melhoria das condições de habitabilidade e assistência médica, bem como na criação de todas as condições para a criança integrada no sistema de ensino especial.

icon_emailShare Enviar por email
icon_print Imprimir
icon_increaseTxt
icon_decreaseTxt